sábado, 17 de abril de 2010

Passagem de Plantão de Enfermagem

Como nossa Primeira postagem, não poderia ser diferente começaremos pela passagem de Plantão de Enfermagem.

Introdução

A passagem de plantão é um mecanismo utilizado para assegurar a continuidade da assistência prestada. Este evento, constituí a atividade fundamental para organização e melhor atendimento do serviço de enfermagem prestado ao paciente.

Finalidade

A finalidade da passagem de plantão é a transmissão das informações sobre as intercorrências, pendências e situações referentes a fatos específicos, da unidade de internação que mereçam atenção, entre os profissionais que terminam e os que iniciam o turno de trabalho. Por sua vez, essas informações se constituem de dados (registros de fatos) ordenados de forma coerente e significativa para fins de compreensão e análise.

Fatores que interferem na passagem de plantão

As informações, trocadas entre os enfermeiros, técnicos e auxiliares durante a passagem de plantão, proporcionam a continuidade da eficácia da assistência prestada ao paciente. A passagem de plantão deve ser rápida, objetiva falando apenas sobre alguns aspectos mais importantes sobre o paciente. Há fatores que interferem na comunicação dos profissionais de enfermagem durante a passagem de plantão, que tem por consequências falhas na continuidade da assistência prestada.

Consideramos agora alguns fatores que influenciam positiva ou negativamente na passagem do plantão de enfermagem:


Fatores positivos:





Fatores negativos:

· Espaço físico adequado e ambiente tranquilo;

· Objetividade na transmissão das informações;

  • Checagem dos registros (prontuários e prescrição médica);
  • Preocupação com o tempo de duração da atividade (respeito ao horário de início e termino das informações);

· Ambiente conturbado com conversas paralelas;

· Interrupção pela equipe médica;

· Excesso de pacientes;

  • Prontuários com registros incompletos;
  • Telefones, campainhas e auto falantes;
  • Desatenção ou fazer outras atividades na hora da passagem de plantão.


Os danos causados por passagens de plantão, feitas sem a devida atenção de quem passam e de quem recebe, geram consequências. No final de cada plantão, o certo é marcar tudo que fez, registrar na evolução do paciente e comunicar à enfermeira, se fez ou não o procedimento. Registrar e realizar a anotação de enfermagem. Este é um dos segredos para que se evitem falhas nas passagens de plantão.

Quem sofre e quem é punido

Um profissional, que preferiu não ser identificado, conta que, na passagem de plantão, o colega que passava, afirmou que um paciente estava com dieta zero, em razão de exames que seriam realizados. Todavia os exames já haviam sido realizados, levando o paciente a sofrer devido à dieta, por uma falha na comunicação.

A Enfermeira Solange Marquezine de Jundiaí, relata que uma colega querendo ir embora rápido devido ao cansaço, disse que estava tudo em ordem com os leitos impares. A mesma se deteve aos leitos pares, porém, as sondas dos leitos impares não haviam sido trocadas. No dia seguinte as duas foram advertidas, mesmo, Solange tendo feito a sua parte.

A Auxiliar de Enfermagem Estela, apressada para sair com destino a um segundo trabalho, se esqueceu de um cuidado que faltava a um paciente em estado crítico. O profissional do outro plantão não checou se havia sido realizado e ficou para outro período. Quando foi aberto o ferimento, o curativo estava vencido e em estado lastimável. A Auxiliar de Enfermagem que fez os cuidados, comunicou a supervisão, que a aplicou uma advertência.

Estela atribui os erros nas passagens de plantão ao cotidiano estressante dos profissionais com jornada dupla.

Advertências como no caso de Solange e Estela, são apenas um dos resultados de ações decorrentes da falta de comunicação adequada nas passagens de plantão, que podem ser mais graves, levando um paciente ao óbito.

Mas não é só em hospitais que ocorrem essas falhas. Há quem diga que ocorre esse tipo de erro em home care também. Uma outra profissional da área da saúde que preferiu não se identificar conta que passou por constrangimentos como consequência de uma passagem de plantão inadequada em home care.

Na data do ocorrido, ela estava trabalhando para um certo paciente em sua residência.

Quem fornecia a medicação era a família, e não o convênio. Na noite em que assumiu o plantão, a auxiliar do dia havia passado o plantão sentada na cama do paciente assistindo a novela das 19:00h.(começou ai o erro).

Perguntou a ela: “a mais alguma coisa de anormal?” Ela respondeu: não, tudo normal!

Apressada se despediu e seguiu seu destino. A outra que assumiu o plantão naquele momento foi verificar as medicações da noite. Quando ela foi separar uma medicação, verificou que não havia mais. E esta deveria ser ministrada às 20:00h. Ligou para a empresa para a qual prestava serviços e chamaram a atenção por não ter pedido a medicação antes.

Ela disse que a plantonista do dia havia passado o plantão sem novidades e não havia feito o controle de medicações.

Então ela fez contato com a família – que, mais uma vez, a chamaram a atenção por não ter pedido a medicação antes, pois esse tipo de medicamento é importado... Resumindo, a família conhecia alguém (...) e conseguiu a medicação por volta da 00:00h.

Imaginem o sufoco que essa funcionaria passou naquela noite, ouvindo coisas que não era de sua culpa.

Irresponsabilidade de quem passou o plantão e não avisou que faltava a medicação e de que não havia feito o pedido durante o dia. A funcionária acabou sendo despedida por seu erro e a que deu esse depoimento ganhou a confiança da família. Mas a que preço!

Por isso é que informações fragmentadas levam a um plano de cuidados fragmentados. Isso por si só, já traz consequências para a qualidade da assistência prestada.

Passagens de plantão mal executadas não apenas podem trazer danos ao paciente, mas também arranham e muito a imagem de uma equipe!

O fato de se esquecer de, por exemplo, passar um controle de diurese de um paciente, ou jejum e tantas outras ações e observações importantes levam a um (dês) cuidado que não poderá ocorrer com a equipe de enfermagem.

A comunicação é, na verdade, um processo que mobiliza todas as ações humanas. É capaz de dar suporte a organização e funcionamento de todos os grupos sociais. Por meio da habilidade de perceber e comunicar, o indivíduo enriquece o seu referencial de conhecimentos, transmite sentimentos e pensamentos, esclarece, interage e conhece o que os outros pensam e sentem.

Bibliografia: Revista COREN SP n. 71 set/out/2007.

4 comentários:

  1. Valeu! bem elaborado.

    ResponderExcluir
  2. muito bom...
    me ajudou muito

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de saber sobre queimados...
    Tenho um trabalho para elaborar, mas, tá difícil

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito,e o relato de fatos que me ajudou muito.

    ResponderExcluir